quarta-feira, 4 de julho de 2018

Governo capacita mais profissionais das salas de vacinação de 27 municípios





O Governo do Maranhão capacita mais profissionais das salas de vacina de 27 municípios maranhenses. Com a qualificação, técnicos da Secretaria de Estado da Saúde (SES) orientam os profissionais para o aperfeiçoamento dos processos de trabalho, promovendo a melhoria da qualidade no serviço de saúde. A capacitação, que teve início na segunda-feira (2), prossegue até a próxima sexta-feira (6) no auditório da Central Estadual de Armazenagem e Distribuição de Imunobiológicos.

A chefe do Departamento de Doenças Imunopreveníveis da SES, Maria Helena Almeida, destaca que o curso capacita os profissionais vinculados a Rede de Frio, além da temática do sistema de informação vinculados ao programa de imunização, sala de vacinação, entre outros.

“Estes treinamentos são importantes, porque neles nós abordamos tudo sobre o universo das vacinas, desde o calendário vacinal, os esquemas de cada vacina, composições, efeitos adversos, até a Rede de Frio”, afirmou.

No decorrer da semana, serão trabalhadas formas de fortalecer a vacinação como atividade inserida no conjunto das ações da Atenção Básica em Saúde; a vacinação como uma das ferramentas para o controle, eliminação ou erradicação de doenças Imunopreveníveis; e, ainda, os componentes básicos da ação de vacinação.

Para a enfermeira Raquel Suylane, responsável pela sala de vacinação da Regional de Caxias, é importante participar do curso para aprimorar os conhecimentos sobre as vacinas. “O calendário de vacinação tem constantes alterações. Precisamos conhecer para que possamos explicar o melhor possível, no momento da vacinação, aos pais e responsáveis pelas crianças ou adolescentes”, disse.

Emereciana Nepomuceno, enfermeira responsável pela Rede de Frios da Regional de Barra do Corda, diz que os vacinadores precisam estar sempre qualificados porque, além de saber sobre as vacinas, é preciso observar as mudanças sazonais. “A capacitação é o momento chamar todos os municípios para reforçar essas coberturas contra poliomielite e sarampo para que o estado não corra o risco de ter um surto dessas doenças”, finalizou.

Campanha de vacinação contra pólio e sarampo

A campanha nacional de vacinação contra poliomielite e sarampo está prevista para agosto. Durante a qualificação, a SES reforça a importância da mobilização nos municípios maranhenses. No Brasil, por conta dos casos de poliomielite registrados recentemente na Venezuela, o Ministério da Saúde informou que a campanha de vacinação contra a doença no país deve recomeçar no próximo mês, entre os dias de 6 a 31 de agosto. Nos dois últimos anos a campanha aconteceu em setembro.

Em 2017, 31 municípios maranhenses apresentaram cobertura abaixo de 50% contra poliomielite, índice considerado muito baixo, representando alto risco para ocorrência de casos da doença na população. A superintendente de Epidemiologia e Controle de Doenças da SES, Maria das Graças Lírio Leite, reforça que a vacina é considerada uma das medidas mais eficazes de prevenção da doença.

“Desde o mês de junho enviamos documento para as Unidades Regionais de Saúde e secretários municipais de saúde, alertando sobre a situação de risco para todos os municípios. O Estado adota os procedimentos para o abastecimento de seringas, agulhas e vacinas em todas as regiões de saúde. Também prestamos assessoria permanente sobre os serviços de informação e treinamento em salas de vacinas. Compete aos municípios a vacinação e a gestão do sistema de informação [lançamento dos dados]”, destacou Maria das Graças Lírio Leite.

Medidas prioritárias foram adotadas pelo Governo do Maranhão para incentivar a vacinação nos municípios, inclusive com envio de recomendações para os gestores de saúde dos 217 municípios, apoio técnico e de estrutura para campanhas de vacinação em áreas prioritárias, seminários de orientação quanto a organização da campanha, abastecimento das regionais de saúde com insumos (seringas, agulhas e vacinas de todas as regiões), e avaliação mensal das coberturas vacinais dos municípios, encaminhada às regiões de saúde.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Deixe seu comentário aqui.