segunda-feira, 4 de junho de 2018

Mais de dois mil adultos e idosos são alfabetizados em Aldeias Altas pelo "Sim, Eu Posso!"



Letras que se juntam e formam palavras. O ato de ler e escrever se tornou uma das maiores vitórias para 2.365 jovens, adultos e idosos do município de Aldeias Altas, que se formaram, no sábado (1°), na segunda etapa da Jornada Alfabetizadora "Sim, Eu Posso!".

A jornada é realizada pela parceria do Governo do Estado com o MST (Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem Terra) e está presente em 15 municípios maranhenses, com baixo IDH (Índice de Desenvolvimento Humano).

A primeira fase do projeto alfabetizou 2.197 pessoas, reduzindo, assim, 92,5% o número de analfabetos no município de Aldeias Altas. “Hoje essa festa além de ser uma comemoração para os alunos, é uma comemoração para a cidade. Aldeias Altas abraçou o 'Sim, Eu Posso!'; abraçou o Governo do Estado e os resultados foram muitos bons", comemorou a coordenadora municipal da Jornada Alfabetizadora, Gabriela Melo.

O clima de alegria tomou conta da cidade, as ruas foram tomadas por alunos, familiares e amigos dos formandos.

A professora Lucinda Ribeiro, comemorava duplamente a alfabetização dos pais Manoel Ribeiro da Rocha e Maria das Graças Ribeiro da Rocha, como filha e também como professora. “A experiência do Sim, Eu Posso! tem sido muito boa, porque além de dar aula, ter a experiência de trabalhar com os familiares da gente é ótimo. Porque além da gente ensinar, a gente aprende tantas coisas com as histórias e vida deles. Foi muito emocionante! Os meus pais não tiveram a oportunidade de estudar no tempo certo, e hoje eles sabem ler, escrever e até recitar poema”, comemorou Lucinda Ribeiro.

“Eu sinto muito prazer e alegria de estar aqui. Minha mulher aprendeu a ler comigo e a minha filha foi a nossa professora. Eu não tive a oportunidade de estudar e ‘botei’ ela. A primeira coisa que eu escrevi foi sim, eu posso. Eu estou muito feliz", afirmou Manoel Ribeiro de 76 anos.

Para Dona Graciliana da Vitória, de 89 anos, ler e escrever o próprio nome é uma das maiores vitórias da sua vida. “Eu tive 14 filhos e não tive como estudar. Fui criando os filhos, netos, bisnetos e até os meus tataranetos. Antes não tinha esse ‘movimento’ pra fazer a gente estudar. Eu adoro a minha professora como se ela fosse a minha filha, porque ela tem paciência comigo. Coloca o meu nome para eu cobrir, me ensina direitinho”, diz emocionada a Dona Graciliana.

Estiveram presentes à solenidade o secretário de Estado da Educação, Felipe Camarão; o secretário de Estado de Direitos Humanos e Participação Popular, Francisco Gonçalves; o prefeito de Aldeias Altas, Zé Reis, e os deputados federais Weverton Rocha e Zé Carlos.

“Hoje nós só temos que agradecer, a história do analfabetismo em Aldeias Altas está perto do fim. Essa noite é uma noite de conquista, mais de 2 mil pessoas que hoje sabem ler e escrever. Eu agradeço e parabenizo a todos que fizeram esse grande trabalho”, diz o prefeito Zé Reis.

"Essa é uma das mais belas noites de 2018. Um dos princípios dos direitos universais dos direitos humanos é o acesso à educação, só assim nós podemos mudar a triste realidade do povo do Maranhão. O hino do Estado do Maranhão fala de forma muito clara ‘a liberdade é o sol que nos dá vida’, por isso Sim, Eu Posso!” afirmou o secretário de Direitos Humanos e participação Popular, Francisco Gonçalves. 

“O governador Flávio Dino já disse que nós vamos fazer uma intervenção. Só que será uma intervenção constitucional educacional. É a melhor intervenção que existe: construindo, reformando escolas e alfabetizando as pessoas. Hoje estamos em festa. Viva a revolução! Viva Aldeias Altas! Viva o Maranhão!”, finalizou Felipe Camarão

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Deixe seu comentário aqui.