sexta-feira, 6 de abril de 2018

Parceria entre Prefeitura e Governo do Estado qualifica mulheres em curso de corte e costura





Com o objetivo de estimular e impulsionar o trabalho de mulheres, tornando-as capazes de gerar renda para o sustento próprio e de suas famílias a Prefeitura de São Luís, por meio da Secretaria Municipal da Criança e Assistência Social (Semcas), em parceria com o Governo do Estado do Maranhão, via Instituto de Educação, Ciência e Tecnologia do Maranhão (Iema), realizou, na tarde de quinta-feira (5), no Convento das Mercês, a abertura do Curso de Qualificação em Corte e Costura. Participam do curso 40 mulheres.

Com carga horária de 160 horas, o curso é voltado para mulheres atendidas pelos Centros de Referência de Assistência Social (Cras) das regiões do Centro e Liberdade, pelo Centro de Referência Especializado em Assistência Social (Creas), do Serviço Especializado para Pessoas em Situação de Rua (Centro POP) Anil, da Casa do Bairro, Associação das Profissionais do Sexo do Maranhão (Aprosma) e Casa da Mulher Brasileira (especializada em atendimento humanizado às mulheres vítimas de violência).

O curso será ministrado pelo Iema, com aulas de segunda a sexta-feira, das 14h às 17h, no Convento das Mercês. A coordenadora de Inclusão Sócio Produtiva da Semcas, Nubervane Moreira, explica qual o papel da coordenadoria no apoio à qualificação profissional. "Nosso papel é contribuir na inclusão dos usuários da política de Assistência Social, no mercado de trabalho, oportunizando uma geração de renda formal ou autônoma, gerando assim, trabalho e renda. Os cursos e capacitações são ofertados, através de articulações com instituições que tenham essa competência" explicou.

AULAS

As participantes terão aulas sobre empreendedorismo, relações pessoais e interpessoais, ética profissional, formas de modelagem básica e adaptação em diversas peças do vestuário como camisas, calças, vestidos e camisetas.

Algumas alunas já possuem o conhecimento básico sobre costura, elas procuraram a qualificação para se especializarem, como é o caso de Galdys Almeida, 35. Ela é acompanhada pelo Centro POP Anil e reside em uma Casa de Apoio para Dependentes Químicos. "Eu já sou artesã e quero me profissionalizar mais. Então tem certos trabalhos que ainda não sei realizar. Aqui eu terei essa oportunidade de melhorar meu conhecimento, ampliando os serviços que posso oferecer, para, quem sabe, assim, conseguir um cantinho para morar", disse.

Laiene Teixeira, 21 anos, também desempregada é atendida pela Casa da Mulher Brasileira. Ela conta que teve noções de costura com a avó e sempre teve vontade de fazer o curso. "Ter conseguido essa oportunidade é muito bom, pois o mercado exige cada vez mais das pessoas. Me especializando, eu poderei ter uma renda própria, e até diminuir os gastos em casa, já que poderei confeccionar nossas próprias roupas", afirmou.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Deixe seu comentário aqui.