sexta-feira, 23 de fevereiro de 2018

KENNEDY: PAULO VIEIRA EXPÕE EXTENSÃO DE CORRUPÇÃO TUCANA





Jornalista Kennedy Alencar afirmou nesta quinta-feira, 22, que de que o ex-operador do PSDB Paulo Preto tinha R$ 113 milhões em bancos suíços em junho de 2016 mostra a "extensão da corrupção do PSDB"; "Do ponto de vista político, a atitude da defesa de Paulo Vieira dá mais uma evidência da hipocrisia do discurso feito por líderes tucanos, como o ex-presidente Fernando Henrique Cardoso e o governador Geraldo Alckmin, de que a corrupção do PSDB é menor do que a do PT", diz ele; "Esses R$ 113 milhões eram recursos de origem ilícita? Eram somente dele? Ou Paulo Vieira funcionava como laranja de algum político ou alguns políticos?"


O jornalista Kennedy Alencar afirmou nesta quinta-feira, 22, que de que o ex-operador do PSDB Paulo Preto tinha R$ 113 milhões em bancos suíços em junho de 2016 mostra a "extensão da corrupção do PSDB".

"Do ponto de vista político, a atitude da defesa de Paulo Vieira dá mais uma evidência da hipocrisia do discurso feito por líderes tucanos, como o ex-presidente Fernando Henrique Cardoso e o governador Geraldo Alckmin, de que a corrupção do PSDB é menor do que a do PT", diz ele.

Segundo Kennedy, a Lava Jato propiciou a criação de uma narrativa de que o PT sistematizou a corrupção e a levou a um nível nunca antes visto neste país.

"Quem cobre política há trinta anos sabe que isso não é verdade. Em junho de 2016, em plena Lava Jato, um ex-diretor da Dersa tinha em 4 contas suíças R$ 113 milhões. Esse é um episódio que dá pistas sobre a extensão da corrupção tucana", aponta Kennedy.

"Esses R$ 113 milhões eram recursos de origem ilícita? Eram somente dele? Ou Paulo Vieira funcionava como laranja de algum político ou alguns políticos? O esquema das empreiteiras na Petrobras não foi reproduzido do mesmo jeito em obras públicas em grandes Estados, como São Paulo, Rio de Janeiro e Minas Gerais?", questiona.



Fonte: 247

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Deixe seu comentário aqui.