segunda-feira, 27 de novembro de 2017

Ricardo Diniz emite nota de esclarecimento




Ricardo Diniz emite nota de esclarecimento sobre projeto do vereador Francisco Carvalho


A respeito da repercussão da sua postura da Comissão de Educação da Câmara Municipal de São Luís ter se manifestado favorável ao projeto de lei de autoria do vereador Francisco Carvalho (PSL), que cria o programa “Escola Sem Partido”, o vereador Ricardo Diniz (PCdoB) afirma que não adota decisão beneficiando apenas um lado. Adiante no seu parecer, o parlamentar do PCdoB destaca que a proposta do colega do PSL “garante que a atividade docente seja exercida em consonância com os princípios de liberdade de aprender e ensinar”, entre outros pontos.

Na sua nota, Ricardo Diniz acrescenta que “o professor deve apresentar de forma livre democrática os diferentes pontos de vista sobre os temas abordados, convidando os alunos para análise da realidade por múltiplas perspectivas”. Continuando, o vereador comunista enfatiza que “faculta ao professor o direito de ter sua militância, mas a sala de aula não é o melhor lugar para exercê-la”. A seguir a nota

Nota de Esclarecimento

Diante da repercussão da minha posição na Comissão de Educação da Câmara
Municipal de São Luís favorável ao Projeto de Lei Nº 113/2017, de autoria
do vereador Francisco Carvalho, que cria na rede municipal de ensino o
programa “Escola Sem Partido”, quero afirmar o seguinte:

1- Em nenhum momento tomei e nem tomarei decisões beneficiando apenas um
lado. Em nosso parecer destacamos que o Projeto de Lei do vereador
Francisco Carvalho garante que a atividade docente seja exercida em
consonância com os princípios de liberdade de aprender e de ensinar,
liberdade de consciência e de crença dos estudantes, pluralismo de ideias,
neutralidade política, ideológica e religiosa do Estado.

2- O professor deve apresentar de forma livre e democrática os diferentes
pontos de vista sobre os temas abordados, convidando os alunos para
análise da realidade por múltiplas perspectivas. Essa abordagem crítica e
reflexiva não pode ser permeada por doutrinação, seja política ou
religiosa.

3- Faculta ao professor o direito de ter sua militância, mas a sala de
aula não é o melhor lugar para exercê-la. Deve haver por parte do
professor o compromisso de ser intelectualmente honesto e deixar claro que
existem outros pontos de vista

4- O parecer iria para a primeira votação, onde poderiam ser feitas
emendas ou poderia ser retirado e arquivado.

5- Estou me colocando, humildemente, à disposição de todos os segmentos
da sociedade para receber sugestões, críticas e recomendações.

6- Conversei com o vereador Francisco Carvalho, autor do Projeto de Lei, e
ele de forma sensata, tranquila e democrática aceitou retirar o Projeto de
pauta e decidimos criar um diálogo com entidades, movimentos e a sociedade
para que seja debatida a viabilidade do projeto.

7- Defendo sempre o debate. Nosso mandato é democrático e pautado no
diálogo, na verdade e na humildade.

8- Meu comportamento e minha história como cidadão e político respaldam
meu compromisso de sempre estar aberto ao debate de forma harmoniosa,
madura e independente para que possamos definir o que é melhor para nossa
cidade e para o nosso povo.

Vereador Ricardo Diniz

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Deixe seu comentário aqui.