terça-feira, 25 de julho de 2017

Sinproesemma convoca trabalhadores para manifestação nesta quarta (26), em São Luis

Em defesa dos direitos sociais e das zonas rurais e urbanas, os movimentos sociais, Frente Brasil Popular e o Povo Sem Medo, preparam uma grande manifestação em São Luís em repúdio às reformas trabalhista e da Previdência. O protesto ocorrerá na próxima quarta-feira (26), a partir das das 7h, em frente ao prédio da Justiça Federal na Areinha.



O presidente do Sindicato dos Trabalhadores em Educação Pública do Maranhão (Sinproesemma), Raimundo Oliveira, afirma que o sindicato mais uma vez estará ao lado dos trabalhadores e trabalhadoras maranhenses em defesa da Educação e dos demais direitos da população.

“Estamos imbuídos em puxar mais essa manifestação com intuito de mobilizar toda a classe trabalhadora em defesa dos direitos da nossa população. Direitos esses que estão sendo atacados por esse governo ilegítimo, juntamente com uma parcela considerável de deputados e senadores conservadores”, pontuou.

De acordo com o presidente do maior sindicato de categoria do Maranhão, a cada agressão aos direitos dos trabalhadores pelo governo Temer, aumenta a necessidade de união dos movimentos sociais, centrais sindicais e da população em geral, em torno da luta contra o retrocesso e retirada dos direitos.

“Lamentavelmente a reforma trabalhista já passou e o próximo passo do governo golpista será acabar com a Previdência. Isso, atinge não só os trabalhadores, mas toda a sociedade. Nós não vamos aceitar, vamos para frente do Judiciário para que ele se manifeste”, afirma.

“O Judiciário não pode fechar os olhos diante desses ataques do Executivo e Legislativo, que têm o intuito ferrenho de acabar com os direitos da nossa população. Então, nós vamos para frente do prédio do Judiciário, para que esse órgão fique atento aos ataques que a classe trabalhadora vem sofrendo, em especial nós da Educação, com a perda da aposentadoria especial”, finalizou Raimundo Oliveira.

Para a diretora de Comunicação do Sinproesemma, Ilza Maria, após o prejuízo com a reforma trabalhista, vem aí uma maldade ainda maior: a reforma da Previdência. “Temos que ir às ruas porque maldade maior ainda estar por vir, que é a reforma da previdência que atinge a população em geral. Então, todos devem somar forças à nossa luta que acaba sendo da população do nosso Brasil”, pontuou.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Deixe seu comentário aqui.