terça-feira, 13 de junho de 2017

Tucanos ameaçados ficam com Temer, mas em cima do muro

PSDB fica com Temer após ameaças do PMDB




Aliados do presidente falavam em votar a favor da cassação de Aécio Neves. Decisão pode mudar se houver fatos novos, admitem tucanos; segundo Serra, apesar da manutenção da aliança, deputados do partido não serão obrigados a rejeitar a abertura de processo no STF contra presidente. Pressionado pelo PMDB, que ameaçou até votar a favor da cassação do mandato do senador Aécio Neves, o PSDB decidiu ficar no governo Temer, contrariando parte de seus deputados e senadores. Se houver fatos novos, os tucanos admitem mudar de ideia. Oficialmente, o motivo foi garantir a aprovação das reformas. Desde o fim da semana passada, porém, peemedebistas ameaçavam também impedir alianças para 2018. Segundo o senador José Serra, deputados do partido não serão obrigados a votar pela rejeição da denúncia da PGR contra Temer, escreve O Globo. Para Merval Pereira, PSDB comete um erro brutal de estratégia.

Com apoio de Alckmin e de Doria, PSDB fica no governo

Principal fiador do governo de Michel Temer no Congresso, o PSDB decidiu ontem em reunião da Executiva Nacional e de líderes do partido que vai permanecer na base aliada. Os tucanos adotaram o discurso de que não podem desembarcar agora do governo, sob o argumento de que um eventual rompimento com Temer poderia prejudicar a aprovação das reformas da Previdência e trabalhista, escreve O Estado de S. Paulo.

Fonte: Brasil News

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Deixe seu comentário aqui.