quinta-feira, 1 de junho de 2017

Greve em Bela Vista: Prefeito Orias trata educadores com truculência e boicote!!


Prefeito de Bela Vista do Maranhão, Orias de Oliveira Mendes

Educadores da rede municipal de Bela Vista do Maranhão paralisaram as atividades nesta quarta (31) e quinta-feira (1) para pressionar o prefeito Orias de Oliveira Mendes a retomar as negociações com a direção do Sindicato dos Trabalhadores em Educação Pública do Maranhão (Sinproesemma). Desde março, os educadores tentam retomar a discussão da pauta da campanha salarial de 2017, mas enfrentam a falta de diálogo da gestão, que tenta desmobilizar a categoria. Para completar o quadro de desrespeito, a prefeitura tentou boicotar o movimento grevista dos educadores de Bela Vista, nesta quinta-feira, segundo dia de paralisação.



No primeiro dia de atividades, os educadores aproveitaram a paralisação para discutir, além dos problemas municipais, as reformas da Previdência e trabalhista, apresentadas pelo presidente Michel Temer (PMDB) ao Congresso Nacional. As medidas geram preocupação entre os docentes, uma vez que ameaçam conquistas históricas dos educadores, como o fim da aposentadoria especial do magistério.

Enfrentamento



Já na manhã desta quinta, a categoria trocou as salas de aula pelas ruas do município para expor à sociedade a falta de diálogo vivenciada pelos profissionais da educação, mas enfrentou a truculência de aliados da gestão municipal, que contrataram carro de som e trio elétrico para abafar a manifestação realizada pelos docentes.



“Mesmo assim, os educadores, com firmeza e determinação, fizeram caminhada até a Secretaria de Educação. No trajeto, a categoria ficou animada e disposta para fazer o enfrentamento. De uma forma ou de outra, nós saímos vitoriosos da mobilização”, destacou a secretária de Representação de Núcleos Municipais, Janice Nery, que acompanha as atividades com o secretário de Patrimônio e Administração, João Sá.

Pauta

Segundo o coordenador do Núcleo, Ivanildo de Sousa, o objetivo dos dois de paralisação é cobrar a resposta da prefeitura à pauta entregue pelos dirigentes sindicais ainda no começo do ano. Entre os principais itens reivindicados estão o cumprimento da jornada de um terço para o planejamento, os retroativos referentes às progressões salariais concedidas em 2015 e 2016, a reformulação do Plano de Carreiras, Cargos e Vencimentos.




Fonte;  Ascom Sinproesemma com edição do blog

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Deixe seu comentário aqui.