domingo, 4 de junho de 2017

Corrigindo a matéria do "blogueiro" Felipe Mota, para que não sejam feitas injustiças!



ANTES DE MAIS NADA, QUERO DEIXAR CLARO QUE SOU AMIGA DO BLOGUEIRO FELIPE MOTA! MAS, NÃO POSSO DEIXAR PASSAR A INJUSTIÇA, QUANDO O AMIGO CITA O DEPUTADO CABO CAMPOS, QUE CORRIJO, NÃO PERTENCE AO PARTIDO (PP) E SIM É FILIADO AO  (DEM), AMIGO FELIPE!

Quando você cita o deputado e não deixa claro que Cabo Campos não tem nada a ver com a "Politicagem sobre Drogas", você comete mais uma injustiça. 

QUANDO FELIPE MOTA CITA: 

"Discussão acerca da política sobre drogas no Maranhão sempre foi suspeita de desvios e contratação de fundações fantasmas"

DEVERIA TER A PREOCUPAÇÃO DE DEIXAR CLARO QUEM QUANDO E COMO E EM QUAIS MOMENTOS SE REFERE, COMO NÃO O FEZ, O AMIGO COLOCOU TODOS QUE TRATAM DO ASSUNTO NO ESTADO NUMA VALA COMUM. TIRANDO OS MÉRITOS NÃO SÓ DO DEPUTADO CABO CAMPOS QUE NADA TEM A VER COM AS DENÚNCIAS, MAS PESSOAS E ENTIDADES SÉRIAS, QUE NÃO ESTÃO ENVOLVIDAS COM CORRUPÇÃO A QUAL O BLOGUEIRO SE REFERE!

E PRA CORRIGIR A INJUSTIÇA COM O ÁRDUO TRABALHO DESENVOLVIDO PELO DEPUTADO ESTADUAL CABO CAMPOS (DEM) SOBRE A POLÍTICAS SOBRE DROGAS. SERIA DE BOM TOM  E CORRETO AFIRMAR QUAIS SÃO E QUEM DE FATO ESTÁ ENVOLVIDO, PORQUE AO LONGO DA HISTÓRIA DO MARANHÃO CREIO QUE O AMIGO NÃO FEZ A PESQUISA DE QUANTOS TRABALHARAM A QUESTÃO E QUAIS FORAM OS ENVOLVIDOS EM CORRUPÇÃO, FELIPE CITA UM GOVERNO E UM JORNALISTA, ISSO NÃO ME PARECE TANTO TEMPO DE HISTÓRIA ASSIM. ME PARECE APENAS UM DETERMINADO PERÍODO, INFELIZMENTE!!

QUANDO O AMIGO CITA: " suspeitas de desvios de finalidades e de corrupção desenfreada", SERIA DE BOM TOM DEIXAR CLARO QUE O DEPUTADO NADA TEM A VER COM A "Fundação Raul Furtado Bacelar", E MUITO MENOS COM O REFERIDO GOVERNO E MENOS AINDA COM JORNALISTA CITADO!

POR FIM, DEIXO CLARO QUE A MATÉRIA É BOA E A INTENÇÃO DO FELIPE MOTA TAMBÉM EM DENUNCIAR A CORRUPÇÃO. MAS A ÉTICA JORNALISTICA DEVERIA SER USADA PELO BLOGUEIRO PARA QUE NÃO SEJA FEITA INJUSTIÇA COM QUEM NÃO TEM NADA A VER COM A CORRUPÇÃO DENUNCIADA!!

SENÃO CONFIRA A MATÉRIA E ANALISE E SE PUDER FAÇA A DEVIDA CORREÇÃO, DE JÁ AGRADEÇO! UM GRANDE ABRAÇO AO FELIPE MOTA.


Discussão acerca da política sobre drogas no Maranhão sempre foi suspeita de desvios e contratação de fundações fantasmas



Felipe Klamt comandou as ações de combate às drogas na extinta Secretaria de Solidariedade Humana

Surge à tona no Maranhão, novas discussões e “caras” para discutir a política maranhense sobre drogas, desta vez, encabeçada pela deputada federal Eliziane Gama (PPS) e pelo deputado estadual Cabo Campos (PP). A bandeira de luta é importante, contudo, nos últimos anos no Maranhão, o tema sobre drogas não alcançaram seus objetivos, suspeitas de desvios de finalidades e de corrupção desenfreada.
Em 2004, a campanha sobre drogas  iniciou em dezembro, no governo Zé Reinaldo Tavares, por meio da extinta  Secretaria Extraordinária de Solidariedade Humana / Juventude, que tinha à frente  Felipe Klamt, que coordenou todo o programa milionário.
Na época, foi firmado um convênio com a Secretaria de Saúde do Estado do Maranhão, no valor de R$ 2.624.404,95 (dois milhões, seiscentos e vinte e quatro mil, quatrocentos e quatro reais e noventa e cinco reais), para a implantação de programas de combate às drogas. Finalidade do programa não foi alcançada mesmo tendo muito dinheiro e o convênio sendo aditivado por mais duas vezes, o primeiro aditivo no ano de 2005 em mais R$ 2.624.404,95 (dois milhões, seiscentos e vinte quatro mil, quatrocentos e quatro reais e noventa e cinco centavos), e um outro aditivo, desta feita, o segundo termo, no valor de R$ 1.525.046,74 (um milhão, quinhentos e vinte cinco mil, quarenta e seis reais e setenta e quatro centavos).
No total, em 3 anos (2004, 2005 e 2006) foram desembolsados dos cofres públicos, R$ 6,8 milhões para as ações que não resultaram em nada e o que se vê em todo o estado foi um avanço na quantidade de usuários de drogas de toda espécie.
Suspeitas de desvios milionários, a Fundação Raul Bacelar não deu prosseguimento às ações e sumiu do Maranhão, retornando suas atividades na cidade de Parnaíba, no Piauí.
Fundação Raul Furtado Bacelar
Em 2004, por meio da Secretaria Extraordinária de Solidariedade Humana, o então titular Felipe Klamt, resbucou uma fundação do interior do Piauí, que não tinha nenhuma expertise em ações de combate às drogas e firmou um convênio milionário. O capital Social da entidade era menos de R$ 10 mil reais.
Os recursos para bancar as “políticas” de combate às drogas vieram da Secretaria de Saúde como mostram as notas de empenho publicadas à época.
Politicagem sobre drogas
As discussões sobre drogas no Maranhão devem ser encabeçadas por órgãos sérios e de controle, do contrário, estas ações servirão apenas para jogar dinheiro do contribuínte no ralo e ser palco para desvios e corrupções.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Deixe seu comentário aqui.