domingo, 6 de novembro de 2016

SEMA vem atuando firme dentro do Parque Estadual do Mirador





A Secretaria de Estado de Meio Ambiente e Recursos Naturais (SEMA) é a gestora do Parque Estadual do Mirador e vem realizando desde o início da atual gestão diversas atividades dentro desta Unidade de Conservação (UC).

O Parque Estadual do Mirador é composto por seis postos avançados de pesquisa: Mosquito, Geraldina, Zé Miguel, Cagados, Mel e Aldeia; distribuídos em pontos estratégicos, construídos nas delimitações para orientar as comunidades e serem pontos para o alojamento de equipes de pesquisa e também servir de base para ações de fiscalização e monitoramento.



“As ações são várias. Estamos trabalhando para disciplinar a comunidade que mora na localidade, como forma de preservar a fauna, a flora e as nascentes dos rios Itapecuru e Alpercata”, explicou o Secretário de Estado de Meio Ambiente e Recursos Naturais, Marcelo Coelho. 

  Durante os últimos meses, foram feitas visitas de análise em todos os postos do Parque e levantamento das principais problemáticas nos povoados em torno dos mesmos.

“Durante as ações de fiscalização e sensibilização ocorre uma intensa comunicação com a população, com o foco na sensibilização das famílias com conversas informais sobre a importância da manutenção e ações mitigadoras dentro do Parque. É perceptível que a base econômica da população é a lavoura, então essas famílias são informadas sobre possíveis infrações que poderiam estar cometendo, recebendo soluções alternativas para amenizar os impactos”, disse a Superintendente de Biodiversidade e Áreas Protegidas da SEMA, Janaina Dantas.

Além dessa análise, há ronda nas comunidades para ordenar algumas atividades (roça, criações de animais domésticos como porcos e gados), e coleta de informações de infratores que vivem fora do Parque; são realizadas barreiras para coibir caçadores nos pontos mais críticos, onde são realizados caças de animais silvestres; os infratores são autuados e notificados para retirarem excesso de cabeças de gados presentes no local, são realizadas ações mais severas, como o derrubamento de cercas onde são feitas áreas de pastagem para a criação de gado; levantamento das residências desabitadas para posterior derrubada, e busca de informações de moradores invasores de cidades adjacentes ao Parque.

São realizadas também fiscalizações específicas para apuração de desmatamento dentro da unidade, verificando e disciplinando alguns moradores com suspeita de possuíres motosserra dentro de suas residências.

As ações de fiscalização realizadas confirmam que a cultura alimentar da população, a condição social, o baixo nível de escolaridade, têm contribuído, significativamente, para cometimento de crimes contra a flora e a fauna silvestre. Neste sentido, ações de conservação, através da Educação Ambiental, são extremamente necessárias, para não haver comprometimento de algumas espécies existente na UC.

“As chamadas Unidades de Conservação são importantes para preservar a qualidade da água para abastecimento público; controlar a erosão e enchentes; e para prevenir a ocorrência de desastres naturais. Muitas áreas são importantes corredores ecológicos, influenciando assim no processo de distribuição das espécies e na dinâmica dos ecossistemas naturais. E diante do que vimos, estamos trabalhando incessantemente a Educação Ambiental dentro das comunidades, esclarecendo sobre as questões ambientais da unidade”, destacou o secretário.

De janeiro de 2015 até outubro de 2016 a SEMA esteve presente no Parque Estadual do Mirador 17 vezes, levando fiscais e analistas ambientais. Todas as ações foram de forma conjunta com o Batalhão de Polícia Ambiental e Corpo de Bombeiros do Maranhão. As ações objetivaram fiscalizar toda a área do Parque, realização de Audiência Pública, Ações de Educação Ambiental com a comunidade, Treinamento do Corpo de Bombeiros Militar para combate a incêndios florestais, ação social com a comunidade residente nas proximidades do Posto do Mel.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Deixe seu comentário aqui.