sábado, 9 de julho de 2016

“Não posso acreditar em nenhuma hipótese que a nossa candidatura possa sofrer qualquer tipo de impedimento”, diz Bira


O deputado Bira do Pindaré reuniu estes últimos dois dias com o presidente da Comissão Provisória de São Luís, vereador Roberto Rocha Junior, na sede municipal do Partido Socialista Brasileiro (PSB) para encaminhar definições sobre a eleição deste ano na capital. Bira registrou, da tribuna da Assembleia Legislativa, a situação e afirmou que o nome dele como candidato a prefeito é defendido por quase todas as lideranças e movimentos do partido no Estado. “Na verdade, o que está faltando apenas é fechar o apoio do senador Roberto Rocha e do vereador Roberto Rocha Júnior. E é sobre isso que nós estamos dialogando. Todas as outras lideranças, deputados estaduais, federal, dirigentes do partido, praticamente todas ou quase todas já declararam apoio e desejam esta candidatura”, frisou.

O deputado esclareceu que ele segue dialogando, que acredita que o diálogo pode resolver o impasse e que o partido ficará unido em torno dessa candidatura que foi, desde o nascedouro, defendida pela militância do PSB. Impedir uma candidatura dessa envergadura seria um ato contra o povo e contra a cidade de São Luís porque, segundo ele, representa eliminar uma candidatura, excluir uma opção, restringir o debate e, assim, prejudicar a democracia. Durante reunião o vereador destacou que a prioridade dele é o fortalecimento do partido. Bira destacou que não há nada que possa fortalecer mais o partido do que uma candidatura própria.

“Então, não posso acreditar em nenhuma hipótese que a nossa candidatura possa sofrer qualquer tipo de impedimento até porque se as pesquisas postas falam a verdade, nós temos pelo menos 50 mil pessoas que desejam e esperam a nossa candidatura neste pleito. Não é algo desprezível, pelo contrário é relevante no debate e nos caminhos do PSB e da cidade”, completou o deputado ao lembrar que quando foi candidato a senador, 45 dias antes da eleição não chegava a pontuar sequer 1% nas pesquisas. No final obteve mais 40% dos votos em São Luís. “Não posso acreditar que nossa candidatura tenha qualquer tipo de restrição porque não sou ficha suja e temos potencial de crescimento comprovado na disputa”, frisou.

Bira é o único deputado eleito pelo PSB no Maranhão, foi o segundo mais votado da oposição no Estado e o também o segundo mais votado em São Luís. Para ele, impedir essa candidatura é uma injustiça. Primeiro porque afetaria, sobretudo, a cidade, que não terá uma de suas melhores opções; e, segundo, com o partido que dispensaria um dos seus melhores quadros e sairia com a democracia prejudicada. “Por isso não creio que esse será o caminho adotado pelo presidente do diretório municipal, vereador Roberto Rocha Junior, e pelo seu pai. Roberto Rocha foi o primeiro senador eleito pela oposição na história do Maranhão. Todos nós fizemos a campanha dele e não posso crer que esta biografia será comprometida com um ato tão absurdo. Agora, se acontecer por alguma razão, certamente alguém vai ter que assumir a responsabilidade e a população evidentemente vai fazer o julgamento no momento certo porque a política não é um ponto parado, mas um ponto continuando. A história segue e o povo julga todos nós pelos nossos atos. Eu seguirei o meu caminho com tranquilidade.”, afirmou.

Bira disse ainda que não inventou candidatura, que foi convidado pelo PSB, que aceitou o desafio e que não vai desistir em hipótese alguma porque desistência é algo que não faz parte da sua trajetória. Ele acredita que com dialogo será estabelecido o entendimento necessário, mas advertiu que não aceitará nenhum tipo de imposição. Militantes do partido cobraram celeridade na escolha e os pré-candidatos a vereador manifestaram apoio à candidatura própria, defenderam também que o melhor nome para a disputa é o deputado Bira. Eles querem a consulta dos filiados ao partido por meio do Congresso Municipal, um dispositivo previsto no Regimento Interno do PSB.

O presidente Roberto Junior disse que não fará o Congresso, mas garantiu que a definição sairá até a próxima quinta-feira (14), em reunião às 17h na sede do partido. O deputado pediu transparência no processo e reafirmou que está aberto ao diálogo, mas que é completamente contra qualquer tipo de imposição. “Tenho crença absoluta de que o caminho mais adequado para esta cidade é o respeito maior à soberania da vontade popular, da democracia”, concluiu Bira.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Deixe seu comentário aqui.