quarta-feira, 9 de março de 2016

Rogério Cafeteira reage a críticas da Oposição contra o Governo



O líder do governo na Assembleia Legislativa, deputado Rogério Cafeteira, ocupou a tribuna da Casa, nesta quarta-feira (09), para defender o Governo do Estado de críticas exacerbadas da deputada oposicionista Andréa Murad. 

Para Rogério Cafeteira, a deputada fez um discurso intimidador e com o subterfúgio de emparedar os colegas parlamentares que não concordam com suas críticas. O líder ponderou sobre a questão dos hospitais recentemente inaugurados pela gestão do Governador Flávio Dino, e disse querer evitar comparações, mas que diante do pronunciamento da deputada, é praticamente impossível.

O parlamentar continuou relatando que em uma conversa que teve com o Prefeito de Tuntum quando houve a inauguração do Centro de Imagem no último final de semana. Foi dito que o referido Centro estava praticamente pronto quando a então Governadora Roseana Sarney assumiu seu mandato e Ricardo Murad assumiu a pasta da Saúde do Maranhão. O que ocorreu nesse período foi a paralisação da obra e o corte do repasse mensal de 500 mil para a saúde do município. “Durante o período em Ricardo Murad esteve na Secretaria de Saúde o município deixou de receber 81 milhões e meio que seriam investidos para o atendimento da população. Será que o povo não merece?”, questionou.

Rogério lembrou ainda que o Hospital Regional de Presidente Dutra que havia sido reestruturado pelo Governador Jackson Lago foi desmontado e sucateado para que seus equipamentos fossem levados para o Hospital de Coroatá. Segundo Rogério não só Presidente Dutra, mas toda a região do Médio Sertão foi prejudicada por essa irresponsabilidade.

Outro ponto tratado por Cafeteira foi a insinuação da oposição sobre a falta de pessoal na área da saúde e lembrou que o que está havendo no atual Governo é a inserção de mão de obra qualificada aprovada em concurso público, processo idôneo, ao contrário dos apadrinhamentos políticos que existiam na gestão passada. “O atual Governo do Estado recebeu uma dívida do anterior na casa do 180 milhões, com salários atrasados e promessa de construção de 74 hospitais que não foi honrada numa época que havia dinheiro sobrando do BNDES. Diante do cenário encontrado e da realidade do país, Flávio Dino vem fazendo uma grande administração. Falhas acontecem, mas são pontuais. A forma de acusação é que é inadmissível”,encerrou.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Deixe seu comentário aqui.