quinta-feira, 24 de setembro de 2015

Presidente vai reunir a Comissão de Ética, pra avaliar o caso Fernando Furtado

Presidente da Comissão de Ética

O deputado Fábio Braga (PDT), presidente da Comissão de Ética da Assembleia Legislativa, afirmou ao blog que deve reunir com membros da comissão para avaliar o caso Fernando Furtado, o deputado afirmou que o suplente foi "Infeliz", em suas declarações, mas pelo tom de Fábio Braga, esta reunião servirá apenas para cumprir uma cobrança e é bem pouco provável que Furtado sofra alguma punição.

" Ele foi infeliz com as palavras dele, mas ele foi humilde pediu desculpa,  falou que foi no calor da emoção, e reconheceu o erro dele, mas ele já pediu desculpa, já pediu perdão pelo o que ele falou, e ele teve humildade, ele reconheceu o erro que ele cometeu, que realmente as palavras dele foram infeliz mesmo, mas, então ele pediu perdão, então cabe ao povo do maranhão aos índios o perdoar ou não, mas a parte dele ele fez! Ele pediu perdão, eu também não sou a favor disso, mas, eu sou a favor daquele que erra e pede perdão, porque a princípio da Bíblia, Deus fala que a gente deve perdoar, então como ele pediu perdão a gente deve perdoar ele", justificou o presidente da Comissão de Ética da Casa.

Já o presidente da Assembleia deputado Humberto (PDT), foi sucinto ao ser indagado pelo blog, sobre a repercussão negativa que o discurso do deputado Fernando Furtado traria ao legislativo estadual.


" O discurso do deputado foi isolado, ele se precipitou... 
     Ele pediu desculpas, foi um ato isolado do deputado, não da Assembleia Legislativa...
     Ele pediu desculpas,  que ele errou pisou na bola,  aquele foi um momento impensado,  ele pediu desculpa tanto aos índios como às pessoas que ele ofendeu... 
      A Assembleia não comunga isso!

O Fato é que até agora a repercussão sobre o caso parece que vai morrer na praia, ou nos açudes, como queira o suplente "pescador".

Agora é aguardar e ver quem é o deputado corajoso, capaz de iniciar de fato uma discussão no sentido de combater esse tipo de atitude de um parlamentar, já que comissão de direitos humanos até agora também não se pronunciou.

Assim como a comissão de Ética a de Direitos Humanos, tem o dever de enquadrar esse tipo de comportamento homofóbico e criminoso, de maus parlamentares!

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Deixe seu comentário aqui.