sexta-feira, 10 de julho de 2015

São Luís é campeã em número de adesões ao Projovem Urbano

A capital maranhense foi o município com maior número de adesão de jovens ao programa


São Luís é o município brasileiro com maior número de adesão ao Programa Nacional de Inclusão de Jovens (Projovem Urbano), com mais de 1.800 jovens inscritos. Na noite desta quarta-feira (8), a Prefeitura de São Luís entregou kits pedagógicos e didáticos a professores e aos alunos matriculados para esta edição do programa em São Luís. A entrega dos kits, feita pelo secretário municipal de Governo, Lula Fylho, e pelo secretário de Educação, Geraldo Castro, oficializou o início das aulas na capital maranhense, onde os cursos são realizados em 15 Unidades de Educação Básica.

"Não estamos poupando esforços para garantir maior acesso à educação em nossa cidade. A parceria com o governo federal reforça o trabalho para que todos esses estudantes tenham chances de retomar os estudos e vislumbrar um futuro melhor", disse o prefeito Edivaldo.


Por meio do Projovem, os estudantes com idade entre 18 e 29 anos, que saibam ler e escrever e que ainda não tinham concluído o Ensino Fundamental, têm a oportunidade de elevar a escolaridade.

"O Projovem Urbano traz dignidade, cidadania e certificação; além do que todos aqueles que puderem cursar vão poder garantir o seu Ensino Fundamental e uma qualificação. É interesse da gestão do prefeito Edivaldo que isso aconteça de forma completa, por isso podemos dizer que temos hoje a maior adesão nacional", destacou o secretário Geraldo Castro. 


O programa está alinhado às estratégias do Plano Municipal da Secretaria de Educação, que visam universalizar o acesso à alfabetização e ao Ensino Fundamental - e que já integram a política do prefeito Edivaldo para a área da Educação.

"O Projovem chega para gerar mais esperança, para gerar mais oportunidade. O que espero é que cada um de vocês aproveitem esta oportunidade de mudar a vida de vocês, de suas famílias. Porque o Projovem é muito mais que um programa de educação e de capacitação, é uma programa de esperança de mudança", disse o secretário Lula Fylho.

EXPECTATIVA

Lahane Pereira Costa, uma das alunas do Projovem falou de suas expectativas com o curso. "Estava há cinco anos sem estudar agora estou tendo a oportunidade de retornar de onde parei. Agora vou em frente até ter uma qualificação que me abra novas portas de emprego", disse

Cada kit entregue ao estudante contém grafite, borracha, caderno universitário, canetas, hidrocor, tesoura, cola, dicionário, lápis de cor, uma resma de papel chamex, pincel, régua, compasso, transferidor e esquadro. Posteriormente, os estudantes receberão também o uniforme do programa, composto por camiseta e mochila.

O material entregue aos professores é composto por caderno, canetas, grafite, apagador com estojo, marca texto, resma de papel chamex, pincel atômico e pincel para quadro branco. Três professores receberam os kits de forma simbólica na solenidade. Cada uma das 15 escolas onde funcionam turmas do programa recebeu ainda material de uso coletivo, composto por resmas de papel chamex, cartolinas, papel pardo, EVA, TNT, colas, tintas e pincéis, entre outros itens que serão usados nos trabalhos de sala de aula.

"Este é um recomeço para muitos jovens que estavam foram da sala de aula. O programa abre novos horizontes e os jovens passam a se ver de uma outra forma e sentem-se mais valorizados", observa o qualificador de Educação Profissional Telemática, Ronald Sousa dos Santos.

O PROGRAMA

Além da oportunidade de avançar na escolaridade, o programa oferece aos jovens aulas de informática e cursos de iniciação profissional com certificado. Nesta edição do programa, estão sendo oferecidos os cursos nas áreas de Construção e Reparos II (cursos de trabalhador da manutenção de edificações, instalador e reparador de linhas e aparelhos de telecomunicações, instalador de sistemas de telecomunicações); serviços pessoais (manicure e pedicure, depilador, cabeleireiro) e telemática (cursos de operador de microcomputador, assistente de vendas e telemarketing).

Para os alunos que tem filhos, cada escola disponibiliza ainda uma sala de acolhimento: um espaço equipado com jogos pedagógicos e com a assistência de pessoal especializado, próximo à classe dos pais, onde as crianças podem desenvolver atividades lúdicas e educativas enquanto os pais assistem às aulas. Tanto os pais quanto as crianças terão também acesso à merenda escolar durante o tempo que permanecerem na escola.

As salas de acolhimento também receberam material específico. Cada sala de acolhimento terá brinquedos, jogos educativos para crianças de 0 a 8 anos, colchonetes, carrinhos de bebê, berço desmontável, tintas, tela para pintura. Cada criança atendida pela sala de acolhimento receberá ainda um kit individual com copo, prato, colher, escova de dente e pasta.

MATRICULA

Jovens interessados em participar do programa ainda podem se inscrever. As matrículas podem ser realizadas na sede da superintendência da área de Educação de Jovens e Adultos da Semed (Centro) e ainda nas unidades de Educação Básica Roseno de Jesus Mendes (Vila Janaína), Tancredo Neves (Cidade Operária), Cidade Olímpica (Cidade Olímpica), Alberto Pinheiro (Centro), Monsenhor Frederico Chaves (São Francisco), Olinda Desterro (Vicente Fialho), Rubem Almeida (Coroadinho) e Newton Neves (Vila Palmeira).

Os interessados também podem se dirigir às Unidades de Educação Básica Ministro Mário Andreazza (Liberdade), Profª Rosália Freire (Vila Izabel), João de Souza Guimarães (Divinéia), Luzenir Mata Roma (Maracanã), Darcy Ribeiro (Sacavém), Carlos Madeira (Anjo da Guarda), Miguel Lins (Alemanha), Ribamar Bogéa (Cidade Olímpica), Rivanda Berenice Braga(Barreto), Rubem Teixeira Goulart (Cohab), Menino Jesus de Praga (Planalto Vinhais II), Gomes de Sousa (Vila Maranhão) e Galileu Clementino (Vila Vitória).

Fala povo
Davi Rabelo Brito 24 anos

"Desde os 14 anos que deixei de ir à escola. Agora estou com 24 anos recomeçando de onde parei para melhorar de vida. Esse curso vai abrir novas portas para mim".



Daniele Oliveria da Silva 23 anos

"Deixei os estudos há muitos anos e agora estou feliz em voltar para sala de aula. Se está difícil emprego para que estuda, imagine para quem não tem nem o Ensino Médio. O Projovem é um programa muito bom e a Prefeitura está de parabéns".
                                                        Charlene Rodrigues Carvalho, 20 anos

"Essa é uma oportunidade muito boa porque podemos estudar e melhorar de vida e ainda temos onde deixar os filhos para poder ir assistir às aulas. É um programa completo que pensou em tudo para levar o aluno para escola".







Nenhum comentário:

Postar um comentário

Deixe seu comentário aqui.