segunda-feira, 3 de novembro de 2014

Guterres é indicado por dirigentes sindicais para assumir secretaria no governo Flávio Dino


Força Sindical, CUT, Nova Central Sindical, CTB, CSB, e UGT, entregaram a Marcio Jerry documento que formaliza três nomes, entre eles Guterres é o mais preparado para a Secretaria do Trabalho do novo governo.


Os movimentos sindicais do Maranhão formalizaram na tarde da últimas sexta-feira (31), através de documento assinado por seus dirigentes o pleito pela Secretaria de Trabalho e Economia Solidária do novo governo. O documento foi entregue durante reunião com o presidente estadual do PCdoB Marcio Jerry e as Centrais: Força Sindical, Central Única dos Trabalhadores (CUT), Nova Central Sindical, Central dos Trabalhadores e Trabalhadoras do Brasil (CTB), Central dos Sindicatos Brasileiros (CSB), e União Geral dos Trabalhadores (UGT).

No documento os representantes das as Centrais apresentam três nomes para assumir a secretaria: Nivaldo da (CUT), Wender Robert presidente da (CSB) e o presidente da (CTB), Guterres. 

Participação no governo

O futuro Secretário de Articulação Política e Assuntos Federativos, reafirmou que governar com os trabalhadores é um compromisso assumido pelo governador eleito, "É um compromisso do governador fazer um governo de grande mobilização social e participação popular, porque sem a participação da sociedade, sem uma grande união em prol do Maranhão a gente não vai conseguir atingir aquele que é o principal objetivo desse projeto liderado pelo Flávio Dino, que é melhorar significativamente o IDH, melhorar as condições de vida do nosso povo", disse Jerry.

Pleito pela secretaria

Participação dos movimentos sindicais no novo governo é fato garantiu Márcio Jerry, mas a palavra final sobre a Secretaria do Trabalho será de Flávio, "Participação sim, o movimento terá, não posso garantir que será com uma secretaria como eles estão pleiteando, mas vamos apresentar o documento ao governador, e no tempo certo daremos o retorno, agora o certo é que terão sim, participação no governo, nas ações, ajudando a fazer a mudança no Maranhão", afirmou.

Guterres no Comando da pasta

Segundo Frazão Oliveira presidente da Força Sindical, por contribuir para a vitória de Flávio Dino nas eleições passadas, a classe não pode ficar de fora do governo, "O movimento também tem nome dentro de sua conjuntura para indicar e contribuir com a mudança, por isso oficializamos este documento e esperamos que o movimento sindical seja devidamente aceito pelo nosso governador", disse". Sobre a indicação de Guterres para assumir a pasta Frazão confirma, "O Guterres é um grande nome, se for o escolhido terá o meu total apoio", afirmou.

"Não só para a Secretária do Trabalho, temos nomes competentes que poderíamos indicar para assumir outras secretaria também", afirmou Wender Robert, presidente da CSB, "Foi escolhida a Secretaria do Trabalho por ser de comum acordo entre todos, nós temos a responsabilidade de buscar emprego e renda para os demais colegas que estão fora do mercado", concluiu.

Segundo Érica Nogueira representante da UGT, a abertura do governo para os movimentos sindicais é inovadora, pois historicamente este é um fato que não aconteceu nos governos passados, "O Flávio ainda nem assumiu o seu mandato e já estamos nesse momento bem avançado de colocar as nossas reivindicações e ser bem ouvidos, a abertura é o principal caminho para um governo diferente e inovador", pontuou. Sobre Guterres, ela disse: "História ele tem, qualificação também, é um nome aceito também pela UGT", finalizou.

Segundo Joel Nascimento representando o SINDMETAL, por décadas os sindicalistas não têm representantes no governo, "O último foi há mais trinta anos, Zé Alves, que inclusive era metalúrgico. Então nessa trajetória não conseguimos emplacar um dirigente sindical secretário de Estado, e nós com esse governo que tem uma ideologia diferente, a gente espera que o movimento tenha um espaço, não queremos só secretaria, nós queremos mais, queremos nosso pessoal em pontos estratégicos, porque precisamos fazer intervenções também em outras pastas em que temos interesse", afirmou. 

Joel também se manifestou sobre o nome de Guterres na lista tríplice como opção para assumir a secretária, "O nome do companheiro tem sido um dos mais citados na classe, estive na Secretaria do Trabalho e mesmo lá, os companheiros estão felizes com o nome dele circulando lá dentro, é um nome que tem lutas e tem história", afirmou

Para Sigisnando Lima presidente do Sindicado dos Trabalhadores e Trabalhadoras Rurais do MA, esta é a secretária que tem afinidade com a classe trabalhadora, "Temos afinidade histórica com a Secretária do Trabalho, temos bastante ideia para trabalhar para uma série de coisas e com certeza a gente tem bastante ideia para administrar, o que faltou foi oportunidade, os movimentos estão preparados para orientar também na administração do nosso estado, esta secretaria tem muito a ver com o histórico de trabalho do Guterres, pra mim tem cem por cento de aprovação seu nome para assumir a pasta, ", afirmou.

Gratidão

"Nós achamos que a secretaria pode desenvolver um trabalho fundamental nesse momento que estamos vivendo que é a discussão da geração de emprego e renda, ela precisa estar presente em várias regiões do estado, avalio que ela pode assumir este papel tão esperado pelos trabalhadores", disse. Quando questionado sobre a grande repercussão do seu nome para assumir a Secretaria de Trabalho e Economia Solidária do novo governo, o presidente da CTB pontuou, "As Centrais representam posições variadas políticas, na medida em que outros companheiros colocam o nosso nome, eu só posso ficar lisonjeado, vamos esperar o desenrolar dos acontecementos, pra mim será uma alegria, contribuir do ponto de vista prático e material para um governo popular, democrático, e transparente, que se propõe fazer o nosso companheiro Flávio Dino", finalizou Guterres.


Nenhum comentário:

Postar um comentário

Deixe seu comentário aqui.